domingo, 22 de setembro de 2013

A Internet o Grande Advento. Ou não?

Não resta dúvida que a internet é um grande advento, nela encontramos de tudo para tudo, receitas, planilhas, especialistas, gestores, pessoas de Marketing etc. Aqui reside o grande problema, porque lá estão também os “especialistas – os gestores e as pessoas de marquetim”. Fica difícil, principalmente quando procuramos algo que queremos aprender, logo é porque não conhecemos ou conhecemos menos do que gostaríamos, separar o trigo do joio, principalmente com apresentações feitas por Profissionais de Marketing bem treinados e eficientes.

Procurava pela posição no Google de alguns de meus artigos quando me deparo com um desses “especialistas” anunciando a abertura de um novo curso de Revenue Management, e como sei como essa filosofia é desconhecida e mal tratada no mercado resolvi procurar o programa do curso, encontrei, e inicia assim:

“Objetivos”:“Preparar os participantes para tornarem seus hotéis mais competitivos, analisando os seus concorrentes e suas estratégias de competição”.
Bem isto não é Revenue Management é como a maioria das ações de gestão hoteleira uma pequena e talvez a menor parte do RM, não que não seja importante, não que não deva ser aprimorada e discutida, mas por Amor de Deus isso é no máximo ritmo e distribuição de reservas e NUNCA REVENUE MANAGEMENT. Mas para profissionais é só o primeiro passo para a implementação de um sistema para quem está iniciando, determinar o concorrente que nem sempre é, quase nunca, quem pensamos.
Em seguida as minhas dúvidas terminaram, diz o programa:

“A Quem se destina":"Donos e investidores de hotéis, diretores, gerentes e profissionais que já atuam na hotelaria e turismo, assim como alunos de Administração, Hotelaria, Turismo e Marketing.”
Concordo além de se beneficiarem, os novos pretendentes a profissionais vão aprender algo que não é RM, mas faz parte. Mas que é válido e necessário e uma parte efetiva do Revenue Management.
Por fim para ter certeza de que não estávamos lidando com Revenue Management, diz o programa:
“A Quem não se destina":"Profissionais de contabilidade e setor financeiro.”
Aqui está o maior atestado de ignorância que já presenciei em termos de "cursos de Revenue management”!! UMA UTOPIA INOMINÁVEL. Vamos ao dicionário para ver o que ele nos diz e: -

(con.ta.bi.li.da. de)  sf.
1  Cont.  Ciência, técnica, método e atividade de calcular e registrar a movimentação financeira de uma firma, entidade, instituição, pessoa física etc.
  2  O conjunto de livros, banco de dados e documentos de escrituração de uma entidade
  3  O setor de uma empresa responsável por essa atividade
  4  Fam.  Cálculo de receitas e despesas: É a mãe que faz a contabilidade da casa.
Bem certo que a contabilidade compila e registra os dados que serão usados futuramente para nossos cálculos e como Revenue Management é altamente dinâmico os dados que usamos exceto os iniciais são conseguidos antes de sua passagem pela contabilidade.

(fi.nan.cei.ro) a.
  1  Referente a finanças; FINANCIAL. sm.
  2  Pessoa ou empresa especialista em finanças; FINANCISTA.
  3  Responsável pelas finanças de instituição, entidade, organização etc
Isto posta só me resta admitir, "morro e não vejo tudo”.
.Apenas um pequeno esclarecimento: quando você implementa do zero um sistema de Revenue Management a partir do 4º passo até ao 8º você lida com economia e finanças e tenho que dizer que duvido e muito que o “professor”, ou seja, lá quem for que fez esse programa saiba realmente determinar precificação. Infelizmente estamos na presença de MAIS UM ENGODO lindamente apresentado na internet.
Uma pequena definição em meia dúzia de passos:

Porque o Revenue Management (a filosofia de gestão) não é para qualquer um:
·         Revenue Management é uma Cultura
·         Revenue Management é uma filosofia de Gestão
·         Revenue Management é estatística e matemática
·         Revenue Management é uma prática diária e continua
·         Revenue Management é muito analítico e pouco comercial
·         Revenue Management é pragmatismo e assertividade
·         Revenue Management é por si só o inicio e o fim de toda a Política / Modelo de negócio Hoteleiro e como tudo tem um início, mas neste caso não tem fim.


“Esta definição que os alunos usam vem do Instituto de Ciências da Administração”. Mas quem conhece e pratica Revenue Management sabe que isso é a mais pura verdade.

Alguém questiona a eficácia e eficiência desta filosofia de gestão, eu a pratico há mais de trinta anos e já rentabilizei hotéis em mais de 100% em 12 meses, são exceções, mas 20 a 30% é obrigação, empresas rentáveis.
Vamos ver da eficiência desta filosofia, A Hilton a 2ª maior rede hoteleira do Mundo ensina em suas faculdades e pratica. Hoje ela tem segundo pesquisa da Top Hotel Projects, portal especializado em projetos de hotelaria em todo o mundo,

Hotéis em Op
UH’s Em Op.
Ht em Constr.
Uh’s em Constr.
3.992
652.376
249
53.703

A 3ª Maior que é a Marriott International, e que segundo consta foi a primeira que desenvolveu sistemas automatizados para implementação do Revenue Management não fica muito atrás.
Hotéis em OP.
UH’S em Op.
Hotéis em Const
UH’s em Const.
3.672
638.793
251
65.913

**As estatísticas acima datam de Abril/2013.
Agora vem um “professor” dizer que Revenue Management não é para pessoas da área financeira. Por favor, não enganem as pessoas de boa fé com apresentações bonitinhas feitas por marqueteiros competentes.

Vamos terminar rendendo nossa homenagem ao Revenue Management que é:
A arte do posicionamento estratégico, maximizando lucros com base nas previsões de demanda otimizando resultados fundamentados em cálculos econômicos e financeiros e mercados que deve ser adotado por inteiro em todo ou qualquer hotel ou empresa onde o Revenue Management possa ser implementado.

Nossos próximos cursos já com datas e locais definidos: 

Bento Gonçalves RS 24 e 25 de Setembro - 

São Paulo 18 e a9 de Outubro - 

Fortaleza 07 e 08 de Novembro. Cursos ministrados por quem usa a filosofia de Revenue Management Pleno há mais de trinta anos em três dos cinco continentes do Mundo.


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

A Qualidade de seu hotel

Águia Consultoria - Consultoria Hoteleira
Plena & Revenue Management
Artigo de Cezar Nogales:
Na hotelaria estamos vivenciando uma época em que podemos chamar de “vacas gordas”, afinal de contas não há hotéis nos quatro cantos do país que posam reclamar de suas taxas de ocupação.
Aprendemos a duras penas, que devemos sempre estar atentos com os dados estatísticos, índice de eficiência (como RevPAR), índices de retorno a tal ponto que as noticias que vemos sempre nos levam para este lado da hotelaria o que nos motiva a melhorar a hospedagem e a hospitalidade com produtos de qualidade, colaboradores prestativos e treinados e alta tecnologia.
 Contudo, deixamos de lado o que é mais valioso na hotelaria que é a satisfação de nossos hóspedes uma vez que há pouquíssimas ou nenhuma noticia a respeito, apenas temos as avaliações dos hóspedes pelo tripadvisor ou alguma que outra On line Travel Agencie (OTA) apontando alguns índices e as informações que recebemos ainda demonstram que estes estão em queda.
Os hotéis mais atentos a esta questão tem seus formulários de avaliação de hóspedes, contudo, o grande problema sempre é fazer com que o hóspede queira deixar a sua opinião a respeito em um formulário, mesmo que seja este um questionário realizado pela internet.
 Há várias ferramentas de análise da qualidade na hospedagem e na satisfação dos hóspedes, uma delas, muito eficiente e eficaz, é o chamado hóspede oculto. Este serviço é realizado constantemente nas grandes redes, afinal de contas, o hóspede oculto nada mais é do que um especialista em hotelaria que se hospeda como um hóspede comum e que realiza uma analise profissional e mais apurada dos serviços existentes com a vantagem de estar incógnito na unidade avaliada para que a experiencia obtida seja a mais natural possível.
 Este serviço, contudo, não é visto com bons olhos pela grande maioria do mercado hoteleiro (excetuando-se as redes), justamente porque os preços praticados não são nada convidativos e ainda há o preconceito de que a pessoa que fará a analise estará ganhando uma hospedagem grátis e receberá uma remuneração para isto, ora, eu pensaria da mesma forma se não tivesse o conhecimento que tenho da importância de uma avaliação honesta sobre o hotel que administro, e afinal de contas, ninguém gosta de ser avaliado (nem mesmo na escola), porque justamente esta ação pode mostrar aqueles defeitos que acreditamos que não os temos.
 Fazer esta analise não é nada fácil, uma vez que não é uma hospedagem de fato, o analista que realiza o serviço oculto deve estar atento a todos os detalhes do hotel, seja em relação aos equipamentos existentes, seja em relação aos serviços e produtos oferecidos sem que seja uma “caça as bruxas” e ainda não pode demonstrar que está realizando uma analise minuciosa, ele deve passar despercebido desde o momento de sua reserva, até a sua finalização no check-out.
 Para que possamos depender de nossos hóspedes para este tipo de avaliação, necessitamos ter aquele hóspede habitual que sempre está reclamando, afinal de contas, o hóspede que reclama diretamente no hotel e ainda volta quer que seus serviços melhorem, pois sabe que o hotel em que está hospedado tem a qualidade que ele deseja e necessita apenas alguns ajustes, porém, quantos hóspedes de fato existem nos dias de hoje que façam exatamente isto? A resposta é: quase nenhum.
Por este motivo e com o intuito de melhorar a qualidade na experiência em se hospedar nos hotéis pelo Brasil, a SN Hotelaria em conjunto com a Águia Consultoria (ambas as empresas de consultoria especializada em hotelaria) se colocam a disposição para realizar a analise de Hóspede Oculto em forma de cortesia a todos os leitores deste blog para qualquer meio de hospedagem no período de outubro de 2013 até maio de 2014, os hotéis participantes receberão uma analise detalhada da qualidade dos serviços que estão prestando e ainda estarão ajudando no desenvolvimento de um relatório de qualidade na hospedagem nos hotéis. Todas as informações terão tratamento sigiloso e nenhum hotel será colocado na mídia por ser excelente ou por estar necessitando de ajustes, afinal de contas a avaliação é algo pessoal e exclusiva do hotel que participar, contudo estaremos desenvolvendo uma estatística sobre a qualidade nos serviços hoteleiros o que poderá ajudar em muito na qualidade e cuidado com a experiência que o hóspede deseja.
 Para receber a sua cortesia e participar basta acessar a pagina www.snhotelaria.com.br para saber mais detalhes.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Faltam apenas 3 Meses e...

Consultoria Plena &
Revenue Management
Faltam pouco mais de três meses para o final de 2013, com certeza em 2012 todos elaboramos um POA, (nós elaboramos vários) isso é inerente a qualquer administração consciente em qualquer tipo de empreendimento, o problema não é o Plano Orçamentário Anual e sim: Quem o elaborou, como, e que uso dele foi feito durante o ano. Essa é a real questão.

Hoje todos falam e sabem muito sobre Revenue Management, será? Você sabe que há vários passos antes que o Planejamento Orçamentário Anual se encaixe na filosofia de gestão que é o RM? Pois é há uma série deles, mas o mais importante neste momento não são esses passos, tanto o livro que editamos sobre o assunto como nosso curso explica todos eles e exatamente o como se deve proceder.

A questão é que gostem ou não o primeiro passo para a área financeira quando implantamos uma filosofia de gestão fundamentada no Revenue Management é exatamente a Planilha doPlanejamento Orçamentário Anual, a rigor ela deve ser elaborada por todos os colaboradores e terminar na Gerência e diretoria, mas o que mais fará a diferença é o que cada um vai fazer com essa planilha, e ela evolui no organograma, precisa ser dinâmica e acompanhada diariamente só assim e usando esse sistema podemos atestar:

“Rentabilizamos qualquer Hotel de qualquer tamanho em qualquer lugar do Mundo em pelo menos 20% em um Ano”.

Lembrem-se não há filosofia de gestão mais rentável para a hotelaria, o RevenueManagement. É filosofia que deve ser usada com os mesmos resultados em algumas outras empresas.

Lembro-me que era um 10 de Setembro à alguns anos e conversando com um empresário sobre o POA dele recebi a seguinte queixa “portuga, estou US$: 50.000,00 (sim dólares) atrás da minha previsão e não vou atingi-la”. Eu perguntei por quê? E como bom Brasileiro ele respondeu, “não vai dar”.
Bem tratava-se de um Hotel médio para grande e eu disse-lhe, eu atinjo, e faço com você um Contrato de risco, venho me instalar no hotel uma semana a 10 dias por mês, minha palavra é lei e dia 10 de janeiro você me dá 60% do que eu conseguir passar desses seus 50 mil dólares, pelo meu serviço você paga R$: 2.000,00 por mês sempre 5 dias antas da minha chegada. Ele achou que eu estava louco, (natural) dispôs-se a investir R$: 1.500,00 e eu aceitei e passamos de 60% para 65%, e ele topou, pois não acreditava que eu conseguisse fazer em SP 50.000 Dólares a mais em 3 meses e vinte dias.
No dia 12 de janeiro ele ficou discutindo comigo que, 65% de nada era nada, mas de acordo com o seu Administrativo ele teria que me dar R$: 23.345,67, ou seja, eu fiz o hotel cobrir os 50.000 US$ que estava atrasado e faturei mais R$: 35.916,42 – Não foi exatamente uma remuneração pela qual trabalho normalmente, mas foram 40 dias de muito trabalho e principalmente de trabalho conduzido e dirigido de forma que os colaboradores do empreendimento não estavam acostumados. ISSO É REVENUE MANAGEMENT Pleno em Ação.

Vamos lembrar que 2014 é o ano da “tal copa do Mundo” que além de frustrar muitas expectativas vai criar circunstâncias onde sobreviverão os mais preparados. De que lado você vai estar? Outra coisa 30 dias em um ano que não serão mais de 15 em cada cidade, não pagam todas as contas.

Conheça o que, e principalmente como fazer para que tudo saia exatamente como planejar, além de descobrir exatamente como rentabilizar e ninguém poder acusa-lo de preços abusivos na época da copa, tudo isso nós ensinamos no curso. Não deixem chegar Setembro de 2014 para descobrir que vão faltar 50 mil dólares no faturamento anual. Ou que seu Hotel não rendeu o esperado.

O IGH – Instituto de Gestão Hoteleira realiza até Novembro vários cursos de Revenue Management – entre eles Bento Gonçalves,24 e 25 de Setembro, São Paulo,18 e 19 de Outubro, Fortaleza, 07 e 08 de Novembro, outras 3 cidades terão suas datas divulgadas: Belo Horizonte  Porto Alegre e Curitiba. No curso vamos explicar em detalhes como fazer seu POA e como essa Planilha DINÂMICA precisa e deve ser seu livro de cabeceira.
Em que pese alguns não gostarem eu digo e repito já fazem trinta anos:

“Não há hotéis que não deem lucro, há sim hotéis mal administrados”.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Seu Empreendimento e os Colaboradores

Consultor Hoteleiro Pleno
Revenue Management
Tem um cardápio eficiente, uma ótima imagem no mercado. Sua equipe está de acordo com tudo isso ou você sente que algo precisa mudar? Vamos colaborar para que consiga ter um ambiente realmente agradável em seu Hotel ou Restaurante.
  • Treine sua equipe para vencer. É indispensável substituir funcionários por colaboradores, o primeiro está esperando a gorjeta e o dia do pagamento, o segundo está trabalhando para satisfazer o Cliente com a certeza de que tudo o resto é uma consequência. Para isso seus colaboradores deverão estar comprometidos, dedicados, e conhecerem acima de tudo a sua Missão, "uma empresa sem missão é como um barco à deriva". Estes profissionais devem adquirir o real espírito de equipe, não podemos aceitar frases do tipo: “mas foi fulano que fez isso”. Isso não existe para o cliente toda a operação tem que passar a ideia de que se trata de uma engrenagem com uma peça só.
  • É de bom tom que o treinamento seja feito por consultor especializado e de forma pessoal e padronizada, este destina-se ao seu pessoal, e ao seu empreendimento Planilhas e apostilas pré-concebidas não dão o melhor resultado.
  • Os colaboradores, (todos) devem sentir que são tidos como confiáveis. Este sentimento lhes dá uma melhor e maior disposição para o trabalho, além de uma real sensação de importantes, o que realmente são. De forma geral quando depositamos confiança em alguém de fato, essa pessoa ou pessoas tornam-se cada vez mais responsáveis. Não podem ter medo de errar e ser descobertos, pois que ao errarem, eles serão os primeiros a vir até há chefia para comunicar o erro seja ele qual for. Esta atitude vai possibilitar que estes trabalhadores venham a assumir cada vez mais e mais importantes tarefas.
  • Todos existimos para crescer, proporcione isso.  Através de delegação de novas tarefas, novas responsabilidades, elogios em público e reconhecimento constante, (repreenda sempre que necessário, porém em particular). Seu colaborador pode e deve sentir que sua opinião é importante, mesmo que não seja completamente aceite podemos usar seu fundamento ou parte dela, e isso deve ser do conhecimento de toda a equipe, “aproveitamos parte da ideia de fulano, uma salva de palmas para ele". Assim todos percebem que têm seu valor e vão querer participar da próxima salva de palmas. Quanto mais “espaço” damos, melhor conhecemos a equipe e mais rapidamente a desenvolvemos.
  • Seu colaborador se distinguiu? Agradeça, retribua, elogie, faça constar, RECONHEÇA e não deixe isso passar em branco. Frases simples (tudo o que é bom é simples) como: “desempenhou extraordinariamente sua função” – “desta vez você se superou” – foi fantástico. Quem não gosta do RECONHECIMENTO?
  • Seu ambiente para ser ÓTIMO tem que ser descontraído! Quem nunca ouviu a frase “escolha o que gosta e faça sempre isso”. Assim não há “caras feias”, na nossa profissão não podemos nos dar ao luxo de ser ou estar carrancudos. Tire momentos de lazer e se puder leve sua equipe toda, vez por outra estenda isso às famílias, os solteiros têm namoradas (os) divirtam-se, brinquem e aproveite mostre que servir é uma arte SIRVA-OS, isso não é vergonha é orgulho mostrar como se faz, mostrar que eles são importantes e dignos de serem servidos pelo melhor. Faça do seus colaboradores uma família, eles são, mas caso não tenham percebido mostre-lhes não com palavras vazias, mas com ações o quanto são IMPORTANTES. Assim nunca se esquecerá de mostrar seu apreço por eles.
O segredo no nosso negócio é Atendimento Serviço e Satisfação Pessoal, trate da dos seus colaboradores, assim eles o imitarão e consequentemente vão cuidar da de seus clientes. O maior problema destas posturas será traduzido em $UCE$$O para o seu negócio. E isso é uma equação 100% correta.

TURISMOS e os Investimentos públicos!! e privados

Consultoria Hoteleira Plena
Revenue Management
Li um destes dias um Artigo do senhor Abdon Barreto Filho, na revista Hotéis onde ele diz da necessidade de investimentos públicos no turismo receptivo. Claro que há necessidade, de Aeroportos, Portos, Piers, Estradas, segurança pública, infelizmente mais uma série de coisas e nem por isso menos importantes.
O resto diz respeito a quem faz o receptivo, e quando temos um Hotel ou Hotéis na mesma cidade ou redes espalhadas somos nós quem deve fazê-lo, conheça biografias de milionários da atualidade em que o segredo deles é que terceirizam o que podem, DETALHE as terceirizadas também são deles, ou seja, vamos OTIMIZAR, acabamos de fazer o projeto de viabilidade para a construção de um Hotel de 140 UH’s e sugerimos nele o investimento de veículos para receptivo. Há coisas que as pessoas se bitolam e esquecem: O Seu Cliente pode sempre pagar mais do que você está cobrando, em síntese isso depende do valor que você vai agregar ao que você oferece e nunca se esqueça, nada é de graça, mas para o Senhor Hospede isso não soa assim, soa a R$ 20,00 a menos do aeroporto para o Hotel e vice versa, mas soa melhor ainda e dizem “eles são simpáticos, fazem a reserva agendam a hora do voo e mandam o próprio carro do hotel me pegar no aeroporto”. Só que lembrem-se, isso tem um custo e para onde vai? Bem aí depende de um plano de contas bem elaborado e do real manejo e gestão na filosofia do Revenue Management, muito difundida, mas praticada pela metade no máximo, às vezes nem isso.
Diz o Senhor Abdon em seu artigo que muitos não acreditam no “fenômeno Turismo” caro Senhor Turismo não é um fenômeno é uma Indústria altamente rentável em todos os seus segmentos e precisa ser encarado e tratado como tal ou não gera os resultados esperados.
No Brasil ainda se explora o Turista e como isso tem conotação de “roubo” eles chegam vão embora e saem dizendo “o Brasil é muito caro” e têm toda a razão, já que os próprios Brasileiros da classe média para cima vão para fora onde são mais bem tratados e com preços muito mais interessantes, se compararmos as passagens aéreas do Brasil com a Europa, aquele continente tem um custo que beira os 40% do nosso em alguns casos a diferença é maior. E não me venham dizer que as Cias aéreas lá são ONGS beneficentes não são – são empresas bem Administradas, essa é a maior das diferenças.
Os modelos de alguns dos Convention & Visitors Bureaux são realmente interessantes, mas faça por si, não fique na dependência, os C&VB operam bem e você participa se beneficia operam mal e você não quer participar beneficie-se também, nunca é o que você faz, mas sim o como você faz, isso faz toda a diferença. Administrei dois hotéis com cerca de 200UH’s cada numa mesma cidade, nunca aqueles empreendimentos tiveram tanta rentabilidade. Não, não são os tempos que são outros, era o meu salário que dependia do meu desempenho, então vamos otimizar tudo em todo o lugar e expurgar o que possa nos atrapalhar, na época e não havia C &VB atuante, a iniciativa privada se juntou e conseguiu tudo o que precisava para construir um novo centro de convenções que atua até hoje.  Na verdade os C&VB quando bem integrados trazem muitas vantagens, menos que tenham conotação meramente politica virem cabides de emprego e fiquem cheios de “QI” sem ao menos conhecimento de nada – o que também é comum. Não só para a iniciativa privada como para os Estados e Municípios. Conheci uma cidadezinha no interior de Minas que tem um C&VB totalmente municipalizado, mas tiveram o cuidado de colocar ali pessoas que conhecem Turismo, gostam do que fazem, e principalmente sabem fazer é uma maravilha o trabalho daquelas pessoas, aliás, já é exemplo no Estado - Parabéns.
Falando de agregar valores, e como iniciamos pelo receptivo, um carro zero quilômetros emplacado para turismo bem conservado pode ser usado por cinco anos, não posso precisar se é assim em todos os Estados uma administradora que opere 400 apartamentos em uma mesma cidade, com uma taxa de ocupação medíocre de 60% vai aumentar suas diárias médias em cerca de R$: 15,00 isso não é notado pelo senhor hóspede o que é notado é o fato de na hora da reserva Ele ouvir, “assim que o Senhor tiver o nr. do voo e horário de chegada, por favor, nos informe será um prazer ir busca-lo ao aeroporto”, lógico que ele vai perguntar o preço e você vai simplesmente dizer: trata-se de uma cortesia do hotel caso queira fazer uso dela. Isso é valor agregado. Ninguém cobrou ou deu preço pelo serviço e a única coisa que o Senhor Hóspede vai pensar é: ganhei o taxi do aeroporto. Se for o caso de Curitiba e cidade como ela e SP cujo aeroporto é em outro munícipio os valores chegam a 70 - 80 reais é claro que tudo isso são cálculos e que esses carros se pagam, e se o empresário olhar seu empreendimento como uma indústria e deixem-me frisar TURISMO É UMA INDÚSTRIA estes carros vão dar rentabilidade. Entendam  “Seu cliente pode sempre pagar mais” não é o que se cobra e sim como se cobra. Neste caso o que se “dá” sem se falar em preço.
E por favor, antes que venham contestar contas todos vão ter o aumento irrisório de diária, quando se pratica o real REVENUE MANAGEMENT este aumento não é notado, mas precisa ter tudo feito de acordo, depois muitos de nossos clientes não veem pelo aeroporto, outros as empresas vão busca-los, ou seja, plano de contas é coisa séria e para profissionais.
Mas como o caso dos traslados eu podia encher meia dúzia de paginas com exemplos de valor agregado e a minha declaração de independência de qualquer C&VB ou qualquer outro destes órgãos, claro que se eles existirem e forem ativos vamos participar, mas eu faço independentemente da vontade ou do achar de qualquer “expert” simplesmente faço acontecer. Tudo precisa estar fundamentados em números e números corretos, eles fazem parte de uma ciência exata, quando assim é parte-se deles e não há como dar errado.
Para finalizar deixa que fique bem claro TURISMO É UMA INDÚSTRIA E A SUA RESPONSABILIDADE É DO INDUSTRIAL – Se tiver ajuda externa ótimo se não tiver eu não estou pedindo nada. Decisão e opinião sem ação é INANIÇÃO.

O Turismo e Oportunidades a Realizar

CEO - Águia Consultoria
Consultoria Hoteleira Plena
Revenue Management
O Senhor Antoninho Marmo Trevisan teve publicado um artigo na revista Hotéis que eu não poderia deixar de comentar, porém ficou longo e acabou se tornando numa postagem.
Lia um artigo do Senhor Antoninho Trevisan onde encontrei muitas e lamentáveis verdades o que, como consultor profissional da área não podia deixar de comentar. Diz o Senhor Trevisan com toda a propriedade, que temos imensas faltas, muitas das quais uns usam como desculpas, outros para justificar a injustificável, mas de algo precisamos estar cientes, acima de tudo precisamos de Infraestruturas. Portuárias, Aeroviárias e Rodoviárias. Torna-se indispensável segurança pública CAPAZ, e não do tipo complexo do Alemão onde todos sabemos que não passa de uma palhaçada cara e onde quem manda continuam sendo a Minoria terrorista que continua dando as cartas. Precisamos ações sérias e eficientes, não fanfarronice barata e demagogia. Porque embora aparentemente se engane uma parte da população Brasileira, estamos aqui falando de turismo oriundo do exterior, e quer os Senhores Governantes queiram, quer não, lá fora sabe-se exatamente o que há aqui dentro e as tentativas de mascarar. Ninguém engana ninguém.
Pacificar uma região, quando isso realmente acontece, não pode ser uma solução isolada comovem sendo, este processo precisa ter continuidade, ou seja, como todo o processo ele precisa Início – Meio –e – Fim. Senão reparemos as áreas que foram efetivamente “limpas” para onde foram os maus elementos dali expulsos? Deixaram as atividades? Converteram-se? Não, eles foram para cidades do interior, na maioria das vezes sem contingente policial e a partir daí traçam suas arruaças e estratégias de ataque, depois aparecem os governos da Capital dizendo (viram diminuímos a criminalidade). Mentira. Transferiram-na para locais onde é menos percebida. Isso não é solução é Embromação
PRECISAMOS DE AÇÕES PARA PROMOVER SEGURANÇA PÚBLICA. AÇÕES NÃO APARATO OU ENROLAÇÃO QUE É O QUE SE VÊ.
Não esqueçam que as reformas dos pontos de entrada e das rodovias assim como de nossos pontos turísticos que devem se mantidos na maior naturalidade possível passa por sistemas de sinalização, e é uma vergonha ver que cada 5 placas de sinalização com tradução seja para que língua for 4 estão erradas ou com vocabulário inadequado, o que é outra vergonha.
O Artigo do Senhor Trevisan trás dados que mostram que os Gestores andam na contramão do que precisa ser feito, a inflação “oficial” 5,4% e a do setor de 9,6% isso nos mostra ou que estamos andando para trás ou que o aumento de 13,1% no faturamento apresentado pela pesquisa da FGV não é sustentável, pois trata-se de um aumento com base no aumento de preços o que é lamentável. E não me vem com história de que é para cobrir os custos, isso para mim é história para boi dormir, custos se diluem.
Existem artigos meus que inclusive foram publicados por outras pessoas, mas mesmo na revista Hotéis ele está assinado por mim, cujo título é “custos diluir ou reduzir”.
Sabemos também a incongruência do chamado custo Brasil que nos cobra as taxas mais caras do Mundo e em troca não nos dá absolutamente nada, porém é um custo que atinge toda a cadeia produtiva. Há que lidar com ele, Nossos governantes não conseguem entender os benefícios imediatos de reduzir estes custos em 67% seria o Ideal não só para o empresariado como principalmente para o Brasil e os ganhos seriam astronômicos, mas parece não haver o menor interesse nisso.
Como a Maioria de nós o Senhor Trevisan também aponta a copa do Mundo e a Olímpiada como dois momentos extraordinários para incrementar o Turismo Nacional, mas como se as infraestruturas não vão estar prontas, e se os Turistas na sua maioria hoje já entenderam que o País é o País mais caro do Mundo para se Viajar e em troca pouco ou nada oferece, cada vez que pergunto a alguém que vai de férias para onde vai diz: “não dá para ficar no Brasil, é muito mais caro” e é esta não só a mentalidade reinante como a triste realidade.
Aumentar preços não ajuda a melhorar nada, ajudam a fechar empresas, Permitir que companhias aéreas formem carteis e a isso se dê nomes Bonitos não ajuda e tira do País os Turistas e leva para fora os Brasileiros que querem fazer turismo.
Vamos ver alguns motivos: Tirei os dados da Decolar.Com -  com ida em 10.09 e volta em 12.09
SP X Curitiba X SP = 374,00 + taxasLisboa X porto Lisboa  - US$ 28,00 + TX
SP X FOTZ X SP = 1.585,00 + TaxasLisboa X Berlim X Lisboa US$ 254,00  Tx
SP X SSA X SP R$. 880.00 + TXLisboa X Paris X Lisboa US$ 112,00+TX
SP X RJ X SP  R$. 307,00 + TXParis X Lyon X Paris   US$ 80,00 + TX
**POA/SLMA/POA R$. 1.940,00+ TXLisboa/ Helsinque/Lisboa US$ 395+TS
** este item tem por finalidade mostrar a disparidade de voos de longa diatância – Lisboa Helsinque (capital da Finlândia) Lisboa são em termos de voo 370 Km a mais que POA São Luiz. A Passagem europeia custa menos da metade do preço. Será que as Cias Aéreas de lá são ONGS Beneficentes, ou têm Administrações eficientes?
Fica nítida e gritante a diferença de preços entre andar pela Europa haja vista que a França recebe 76% do turismo Mundial ou andar pelo Brasil. A diferença entre USA e o Brasil não é tão grande e por vezes nem existe, mas claro que para quem vai fazer compras é muito interessante. Como Diz em seu Artigo o Senhor Trevisan há muito a ser feito, e me desculpe mas preciso acrescentar. Pouco interesse em se fazer.
Como bem diz o Senhor Trevisan, o que o Governo vai ou não fazer em pouco ou nada ajuda, porque este em vista do que sempre fez vai mascarar de última hora, mas, esqueçamos o que não vai ser feito. Urge a iniciativa privada se unir e entender que aumentando preços não só não vai ganhar o que acha que vai como vai conseguir diminuir depois destes dois eventos o já vergonhoso número de fluxo de Turistas que nos visita. Precisam se preparar para realmente alavancar seus negócios com base no evento e não nos Preços. Não se esqueçam de que essa estupides de preço ter a ver com oferta e procura só é verdade quando você estabilizou o mercado e não num mercado cheio de falhas. Se você me vir administrando um Hotel eu pratico o menor preço possível e o Maior preço possível todos os dias ou na pior das Hipóteses três vezes por semana isso não vai fazer ninguém me acusar de estar me compensando em determinadas datas. Cuidado esta comparação de preços de Faço é uma façanha de alta gestão, não saia por aí tentando fazer de qualquer forma que não dá certo, mais ou menos assim, “não faça isso em casa”.
Vamos então usar o real legado arquitetônico e a estrutura destes dois grandes eventos para alavancar o Turismo no Brasil só não se esqueçam 90% dos empresários do turismo nacional não sabe que o Turismo é uma indústria, e é o Turismo é talvez a Indústria mais rentável e maior geradora de riquezas do Mundo, para isso tem que ser tratada como tal (Indústria) e explorada com indústria por enquanto e ao que se viu no fracasso por mim esperado da copa das confederações vai não só se repetir como piorar. O EMPRESÁRIO VEM EXPLORANDO O TURISTA e isto tem cara de roubo, como ninguém gosta de ser roubado, Ele se vai e diz BRASIL MUITO CARO... É verdade, ou não, mas é a imagem que vai. Escolham querem ganhar um de cada um milhão ou 1000 de cada 10? A Opção é sempre vossa, e o resultado vocês colhem o que plantarem, mas nada de arrumar culpados, o culpado é cada um e sua respectiva atitude.